5 de mar de 2015

Peugeot 208 - Parte 1

Olha não imaginava que falar de cambio manual fosse dar tanto pano pra manga.
Mas fui surpreendida.

Por isso mesmo resolvi escrever algo diferente enquanto não começa as corridas (mais expecificamente, a F1)

Achei que não havia melhor assunto do que o meu atual carro.
Um Peugeot 208.
Mas meu foco nessa primeira parte é relatar que eu não cheguei no 208 simplesmente porque o 208 era meu sonho, ou algo que eu acordei um dia e resolvi compra-lo...
Comprar um carro é pesquisa, ver seu desempenho, seu consumo, opniões, testar, e escolher bem...mas tem algo a mais que nem sempre levamos em consideração, que afeta e muito na decisão final, o lado emocional, o atendimento, a atenção por parte do vendedores...e o quão bom eles são. Some tudo isso com o primeiro carro realmente seu, comprado com o seu suor e temos todo um novo conjunto de valores que podem fazer com a escolha obvia, não seja mais a sua escolha.

A introdução parece de um pessoa arrependida, mas afirmo que não estou.
Fiquei muito feliz com o 208, mas não nego que ele não era minha primeira opção, nem a minha segunda, muito menos a terceira, ele foi um acaso, um acaso feliz.

Estou aqui pra contar por cima como cheguei nele.
Na época eu tinha várias opções, vi o Onix, o HB20, o C3 e o Palio, mas no fim escolhi o 208.



Começo com a eliminação dos Chevrolet, por que?
Porque elas tiveram como principal causa, a falta de vontade dos vendedores das concessionárias.

Eu sai pra comprar carro, tava com a grana.

Sem querer esnobar, mas era para pagar a vista...praticamente jogando o dinheiro na cara do povo, e quem disse que alguém vinha me atender, nem dar um oi, ou um espera um momento, nada... fui completamente ignorada em mais de uma concessionária do grupo.

E devo acrescentar que não fiquei só parada, eu fui até os vendedores falar diretamente com eles, e só faltavam me mostrar a mão.

Depois disso dei o dedo do meio pra GM e fui até a Hyundai.

Na época estavam falando bastante do HB20, e sim, era bonito, fiz um teste drive, gostei mas naquele momento já não tinha certeza mais se queria ver uma grana acumulada ao longo de 3 anos sumir do nada em um pagamento a vista, por isso fui ver o financiamento e Jésuis amado...um absurdo.
Resolvi deixar a escolha em stand by, caso não visse nada mais interessante, era algo a se pensar.


Fui na Citroên depois, que fica perto de casa devo acrescentar.
E só fui levada a sério quando fui  com um "adulto responsável". Durante toda a conversa o vendedor só falou com meu pai, e eu, que queria comprar a carro...nada.
Porém vale lembrar que o acabamento interno do C3 é algo de outro mundo, e na conssecionária ainda vi o belo DS3 e toda sua potencia.
No fim decidi que iria esperar, ler algo a respeito, pois apesar de visualmente ser mais bonito que o HB20, o C3 era mais caro.
Não me arrependo de ter deixado a escolha pra depois, o C3 teve um queda de preço razoavel, que me deixaria puta da vida se tivesse comprado naquele momento.



Foi então que eu fui ver o Palio, e ele era tudo e mais um pouco.
Bonito, preço aceitavel, boas condições de parcelamento, um vendedor disposto a negociar se fosse a vista, revisões em conta, e tinha um bom motor, ótimas criticas por parte de donos e revistas...Era o pacote perfeito.
Mas como eu fui na concessionaria após o expediente, não tive tempo de fazer o test drive, nem de fazer negociação nenhuma.

Foi então que chegou sabado...
No sábado eu fiz o test drive, amei o carro.
Se me pergutassem naquele sabado de manhã de 2013 qual seria meu carro...eu diria Palio.

Mas foi que a tarde resolvi passar na Peugeot.


E lá estava  toda a frota nova...208, 308, 408
E eu fui de cara no 208, fui bem atendida, todas minhas dúvidas foram respondidas, as condições de parcelamento era interessante...sem contar que o 208 é bem acabado, lindo por dentro, e tinha sofrida uma reformulação no exterior que me agradou e muito.
Todo mundo fez test drive naquele carro, meu pai, minha mãe, meu namorado na época e eu... é claro...
O cara da concessionária simplesmente deu chave do carro e deixou nós andarmos, só pediu pra trazer de volta.

Tudo isso me fez parar e pensar denovo.
No fim da tarde de sabado, eu já não sabia qual carro queria, e estava pendendo para o 208.

Segunda eu tomei minha decisão.
Após o expediente, acompanhada de minha mãe, uma mestre em negociações (não estou brincando, ela trabalhou no comércio por anos, ele pechincha até água.) eu fechei tudo.
Em junho de 2013, eu comprei o lançamento do Peugeot, um reformulada no seu carro de saída, sua tentativa de reconquistar um mercado perdido creio eu, pois até hoje eu vejo mais 206 do que 207 nas ruas...
Um carro que sempre associei a jovens ou mulheres....
Eu comprei o 208 Allure 1.5

Bem, na próxima parte digo o que eu achei desses 2 anos em que tenho o 208.

Reações:

0 comentários: